Novidades sobre o futuro do MCMV!

Novidades sobre o futuro do MCMV!

Na última semana esclarecemos algumas dúvidas que cercavam o sistema do Minha Casa Minha Vida, onde cresciam boatos e afirmações de alguns ministros, de que o MCMV iria acabar em julho deste ano. Por conta disso, muitos dos nossos clientes acabaram ficando receosos, sem saber se deveriam ainda investir no projeto ou não.

LEIAS MAIS: O Minha Casa Minha Vida vai acabar?

Porém, na última sexta-feira (10), em um reunião no Sindicato da Indústria da Construção de São Paulo (Sinduscon – SP), o secretário Nacional de Habitação, Celso Matsuda, anunciou que o governo concordou com uma sugestão da indústria imobiliária, e deve agilizar a liberação dos subsídios para empreendimentos das faixas 1,5, 2 e 3 do programas. Isto é, famílias com rendas de R$1.800,00 até R$9.000,00.

Relembre as faixas do MCMV:

Além disso, o secretário também falou que novas alternativas serão buscadas para viabilizar mais contratações na faixa 1, como as Parcerias Público Privadas (PPPS) para construção de moradias para aluguel social.

Por conta da preocupação de se reduzir a quantidade de recursos destinados aos seus subsídios, prejudicando ainda mais famílias com baixa renda que dependem desses recursos, o secretário também anunciou que eles preveem colocar em dia os pagamentos até junho. Caso haja um aumento de arrecadação, contratações na faixa 1 também poderão ser efetivadas ainda em 2019.

José Carlos Rodrigues Martins, presidente da Cbic – Câmara Brasileira da Indústria da Construção, disse que considera praticamente impossível que o governo abandone o MCMV, já que os investimentos em construção civil são a melhor maneira de reativar a economia brasileira e gerar empregos.

 “O primeiro passo é resolver o problema dos empreendimentos que já estão contratados. Esperamos que as novas liberações garantam as obras até o fim do ano. O Brasil tem um déficit habitacional de 6 milhões de moradias. Uma carência enorme de habitação. Mas a realidade fiscal que o país vive hoje é que ele não tem dinheiro nem para pagar o que já foi contratado. O conceito de moradia digna envolve lazer, mobilidade e saúde. São pontos que devem ser avaliados no programa. Mas ninguém é louco de acabar com o MCMV. Ninguém pode ser contra a população. Seja do PSL, PT ou MDB, é um programa que traz benefícios muito importantes. Todo mundo ganha quando se dá um teto para as pessoas. Caem os índices de violência, melhora a saúde e a educação” – Afirmou José Carlos Rodrigues Martins.

Inclusive, um estudo feito pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção, comprovou que algumas medidas para destravar esse setor da construção, renderiam mais de 1 milhão de postos de trabalho!

Outras novidades

Completando uma década de existência, outra recém novidade do MCMV é que o programa finalmente recebeu o selo verde. Para quem desconhece, essa titulação é distribuída para seguir instruções de preservação e respeito ao meio ambiente, tendo o objetivo de aperfeiçoamento de tecnologias que visem o desenvolvimento sustentável, aliando tecnologia com preservação ambiental; incentivar o licenciamento ambiental de forma que garanta o pleno cumprimento da legislação e entre outros.

Esse conceito é um fenômeno muito recente no mercado imobiliário,que cada vez mais vemos construtoras apostando na sustentabilidade como um fator diferencial, de forma que atenda a demanda de um público que vê a importância de ser sustentável e contribuir para o meio ambiente.

Em resumo, por mais que tudo ainda esteja em uma linha de insegurança, as novas notícias são mais positivas do que negativas e é bem provável que o programa continue realizando o sonho de muitos brasileiros. Afinal, o melhor momento de sair do aluguel, continua sendo agora!