É possível vender um imóvel financiado?

É possível vender um imóvel financiado?

Uma das maneiras mais utilizadas atualmente para se adquirir um imóvel, com certeza, é por meio dos financiamentos bancários, principalmente pelos diversos benefícios que oferece. Porém, imagine a seguinte situação: você está financiamento um imóvel e resolve vendê-lo, seja por que mudou de ideia ou até mesmo porque terá de se mudar. É uma prática possível? É complicado? Vamos explicar abaixo!

É possível sim vender um imóvel que está financiando, não é tão complicado quanto parece, mas compreenda que a instituição responsável não liberará a venda sem que antes a quitação do saldo devedor restante seja executada, ou seja, o vendedor precisará quitar a sua divida para que isso ocorra. Esta quitação pode ser realizada com outro financiamento ou com recursos próprios, tanto do vendedor, como do comprador.

LEIA MAIS: 5 erros que não devemos cometer na compra do primeiro imóvel

O proprietário ainda poderá lucrar, caso haja alguma valorização do imóvel no período que está sendo vendido. Por exemplo, o saldo devedor é de R$ 91.000,00, mas o valor da venda foi de R$ 165.000,00, isto quer dizer que será descontado o débito que existe com o saldo devedor e o que sobrará será recebido para o vendedor.

Compra de imóvel com pagamento à vista

Em casos de compra de imóvel feitas por pagamento à vista, o próprio vendedor deverá quitar a pendência do financiamento com o banco. Primeiramente o proprietário avisará o banco que deseja quitar o financiamento, a instituição fará o cálculo do saldo devedor, com juros e taxas, emitirá o boleto e com o valor recebido do comprador, fará o pagamento do boleto.

Assim, o banco irá emitir um termo de quitação, para que o proprietário possa tramitar a baixa no gravame (restrição ao direito da propriedade) de Alienação Fiduciária (o que significa que o imóvel não é do vendedor, mas sim do credor), junto ao Registro de Imóveis. Aí sim, o novo proprietário terá total direito sobre o imóvel, podendo seguir o registro de uma nova escritura pública de compra e venda.

Compra de imóvel com novo financiamento

Já em casos onde o comprador do imóvel utiliza um novo financiamento para quitar a divida, o processo é um pouco mais complexo, mas nem por isso mais complicado. O proprietário avisará o banco, que também calculará o saldo devedor, com juros e taxas, fazendo um contrato de compra e venda, que deve ser firmado pelo comprador, proprietário e o banco que o comprador realizará o novo financiamento.

No contrato, o banco irá inserir uma cláusula concedendo a quitação do imóvel ao proprietário. Após o contrato ser assinado e registrado no Cartório de Registro de Imóveis, poderá ser dado a baixa do gravame (restrição ao direito da propriedade), registrar o novo financiamento e averbar a nova Alienação Fiduciária (o que significa que o imóvel não é do vendedor, mas sim do credor).

Quando o vendedor financiou a compra em um banco, mas o novo comprador pretende obter o seu financiamento em outra instituição, é necessário realizar o processo chamado QI, Interveniente Quitante, ou Interveniência Financeira. Ou seja, nesse tipo de transação, o saldo devedor será apurado pelo banco credor do vendedor, que entrará em contato com o banco do comprador para elaborar o contrato.

Porém, é preciso ter noção de que para o valor que restar para o proprietário ser liberado, é necessário apresentar ao banco a matrícula atualizada do imóvel e este processo pode demorar até 30 dias.

LEIA MAIS: Registro e escritura de imóvel: Qual a diferença entre eles?

Outros meios de pagamento

Também existem outras maneiras de pagamento que podem ser ajustadas na compra e venda de um imóvel financiado. Como o consórcio imobiliário, que oferece transferência de outros imóveis ao vendedor e até por meio do FGTS. No caso de um imóvel como pagamento, o vendedor terá que vendê-lo e com o dinheiro arrecado, quitar o saldo devedor do financiamento pendente.

Não se esqueça de firmar a promessa de compra e venda

Antes de dar inicio a qualquer trâmite de venda do imóvel financiado, é mais do que recomentado firmar o documento de promessa de compra e venda, para que ambas as partes tenham os seus direitos resguardados. Além disso, o vendedor deve estar com toda a documentação do imóvel em dia, sem ter nenhuma pendência judicial ou fiscal. Lembre-se também que o vendedor deve agir com o máximo de rapidez possível, pois apenas com uma parcela atrasada, o banco já tem direito de colocar o imóvel a leilão e acabar perdendo o seu patrimônio.

É possível vender um imóvel com prestações em atraso?

Sim, é possível e é muito vantajoso. Pois o vendedor evita a perda de um patrimônio e acaba lucrando com a diferença do montante para a quitação da dívida e o valor do imóvel; e o comprador acaba tendo muito mais oportunidades de negociação. Mas, como falamos acima, para evitar o risco de que o imóvel vá para leilão e a compra seja cancelada, é preciso deixar mais do que claro para o vendedor que o mais importante é não deixar que isto ocorra.

LEIA MAIS: Por que você deve simular o seu crédito antes de comprar um imóvel?

Há um tempo atrás, era muito comum ouvir que vender um imóvel financiado era uma verdadeira dor de cabeça. Mas atualmente isso mudou muito! Porém, para evitar qualquer tipo de problema, entre em contato agora com os nossos especialistas, via WhatsApp, (41) 98803.6166, ou clicando aqui!

LEIA TAMBÉM: Entenda os motivos de 2019 ainda ser um bom ano para comprar um imóvel!

 #nostemosseuprimeiroimovel