7 Dúvidas frequentes sobre financiamento imobiliário

7 Dúvidas frequentes sobre financiamento imobiliário

Comprar o seu primeiro imóvel por meio de um financiamento bancário é um momento cheio de novidades e o surgimento diversas coisas que muitos clientes nunca haviam ouvido falar antes, ou seja, é um momento cheio de dúvidas. Mas, como sempre falamos aqui, quanto mais estar informado(a) neste momento tão importante, mais tranquilidade e confiança você terá de que está fazendo a escolha certa, sair do aluguel e investir em algo só seu!

Pensando nisso, separamos uma lista com as 7 perguntas mais buscadas na hora de fazer um financiamento imobiliário.

1. Posso utilizar o meu FGTS para financiar?

Sim, desde que cumpra os seguintes requisitos:

  • Ter contribuído por pelo menos 3 anos (Neste caso não precisa ser 3 anos consecutivos ou na mesma empresa).
  • Não possuir financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em qualquer parte do País.
  • Não ser proprietário, possuidor, promitente comprador, usufrutuário ou cessionário de imóvel residencial urbano ou de parte residencial de imóvel misto, concluído ou em construção, localizado no município de sua atual residência, ou onde exerce a sua ocupação laboral principal, incluindo os municípios limítrofes e integrantes da mesma região metropolitana.
  • Destinar-se à moradia do titular.
  • O valor do imóvel não pode ultrapassar R$ 1,5 milhão, regra válida para todo o país.

LEIA MAIS: Como utilizar do seu FGTS para comprar um imóvel

2. Sou autônomo, consigo ou não financiar um imóvel?

Sim, consegue! Trabalhadores autônomos, profissionais liberais e até mesmo empresários também podem tentar comprar um imóvel por meio de financiamento bancário, mas o banco exigirá que o cliente comprove a sua renda informal na ausência de um contracheque ou holerite.

Existem várias formas do profissional autônomo conseguir comprovar sua renda, como o contrato de prestação de serviços, recibos dos trabalhos prestados, declaração do sindicato de categoria ou a mais comum a ser utilizada, a declaração do imposto de renda. Além disso, é necessário ter uma conta corrente em seu nome e movimentá-la, para que se consiga realizar extratos e comprovar ao gerente bancário que de fato se tem uma renda.

Os demais documentos exigidos acabam sendo os mesmos que são para os trabalhadores que possuam carteira assinada: RG, comprovante de estado civil e CPF.

3. Como é calculado o valor da prestação e o prazo do financiamento imobiliário?

O valor da prestação é calculado de acordo com os principais encargos (Compostos pelas parcelas de amortização e os juros mensais) e os juros mensais, que são os seguros de danos ao imóvel, morte e invalidez.

LEIA MAIS: Tabela PRICE ou SAC: qual fica melhor para minha renda?

Já o prazo, é comum que os financiamentos ofereçam entre 180 e 360 meses, ou seja, 15 anos e 30 anos. Mas é necessário compreender que quanto maior o prazo, maior será o valor do financiamento, já que os juros são maiores em financiamento mais extensos.

Por isso, uma dica essencial que podemos dar é de que antes de fechar o seu financiamento, procure fazer simulações, para ter uma melhor noção das parcelas e o seu prazo.

LEIA MAIS: Por que você deve simular o seu crédito antes de comprar um imóvel?

4. Quais são os documentos necessários?

  • RG;
  • CPF;
  • comprovante de estado civil;
  • comprovante de renda.

5. Fazer um financiamento bancário demorar muito?

A melhor resposta que podemos dar nesse caso é: depende. Pois acaba dependendo de dois pontos, da documentação do imóvel estar regularizada e do cliente ter o seu crédito aprovado. O que acaba demorando mais é quando um desses dois fatores citados acima estão incorretos.

LEIA MAIS: Minha Casa Minha Vida: Caixa Econômica ou Banco do Brasil?

Mas, se tudo estiver correto e a documentação for entregue corretamente, leva-se entre 15 e 20 dias.

6. Renda Liquida ou Renda Bruta? Qual o banco vai considerar?

Mesmo sendo algo normal no cotidiano do trabalhador, é comum vermos muitos terem dúvidas da diferença de um e de outro. Por isso, antes de falarmos sobre qual o banco irá considerar, acreditamos que seja melhor explicar de maneira rápida e simples a diferença de cada uma.

Renda Liquida é o que você recebe na sua mão, depois de tudo aquilo que já foi descontado. Já Renda bruta é tudo o que vem no contracheque ou holerite, sendo o adicional, a hora extra etc. Ou seja, o maior valor que vem no seu contracheque ou holerite é a renda bruta. Normalmente ela vem como total de proventos.

Nos financiamentos, o banco sempre considera a sua renda bruta, olhando os seus dois últimos meses.

7. Vale a pena sair do aluguel e fazer um financiamento bancário?

Se existe uma questão que pode ser respondida com “Com certeza”, sem pensar duas vezes, é essa! Afinal, não é muito melhor ter um lugar para chamar de seu?

Para tirar essa dúvida dos seus ombros, sem arrependimento algum, pense que o valor que você gasta no aluguel mensalmente nunca retorna para você de nenhuma forma que lhe beneficie. Já financiar um imóvel, ou seja, comprar um imóvel, é um grande investimento, que além de ser uma um espaço verdadeiramente seu, ainda poderá servir de moradia para as suas próximas gerações.

LEIA MAIS: Crédito imobiliário para negativado, é possível?

Vale lembrar que essas são apenas as questões que mais surgem nesse momento. Mas é claro que cada pessoa pode ter uma dúvida diferente e isso é totalmente normal. Por isso, caso a sua dúvida não tenha sido respondida aqui, convidamos você a falar conosco ou dar uma olhada em outros textos do blog da Imobiliária Capriatti, onde postamos textos semanalmente explicando diversas coisas que compõem a compra do primeiro imóvel!

LEIA TAMBÉM: ITBI, você sabe o que é?

#NósTemosSeuPrimeiroImóvel